“O cristal é o coração da lâmina. O coração é o cristal do Jedi. Os Jedi são o cristal da Força. A Força é a lâmina do coração. Todos estão interligados: o coração, a lâmina e os Jedi.” – Luminara Unduli
Essa é uma citação que particularmente eu acho muito bonita. Ela vem direto da série animada Star Wars: Guerras Clônicas, lançada em 2003. Portanto, ela não é canônica.
 
Nessa época a origem dos cristais que alimentavam os sabres de luz era um pouco diferente e bem MENOS poética. Eis aqui um breve resumo…
A grande maioria desses cristais eram encontrados em Illum, um planeta gelado e estéril descoberto pelos Jedi a mais de 22.000 anos aBY. Sua localização exata era mantida em segredo pela Ordem Jedi. Com o passar das eras os Jedi criaram templos, tornando o planeta um local para meditação e a principal fonte para seus sabres de luz.
Por volta de 3.700 aBY, o planeta foi invadido e tomado pelo exército Sith liderado por Darth Malgus.
Com o planeta agora em poder dos “capetudos”, os cristais kyber começaram a ser usados para alimentar grandes estações de batalha e naves espaciais (isso te lembra alguma coisa?).
Pouco tempo depois, os Jedi retomaram o controle do planeta e apagaram todos os registros relacionados a Illum.
Os sabres dos Sith costumavam ser vermelhos pq seus cristais eram sintéticos. Eles eram forjados em fornalhas e por isso ganhavam àquela cor característica.
No entanto, alguns Jedi também tinham sabres vermelhos, mas não porque eram sintético, e sim pq o cristal que alimentava o sabre era “especial”.
Mas, atualmente, os cristais desempenham um papel um pouco mais “vívido”…
 
Cristais kyber podiam ser encontrados nas Cavernas de Cristal de Ilum, na crosta do planeta Lothal na Orla Exterior e em alguns outros planetas. Os cristais concentravam energia de forma única e estavam conectados com a Força, reverberando com ela. Eles eram um componente essencial na construção de sabres de luz, focando a energia para formar a distinta lâmina de plasma da arma. Enquanto eram Iniciados, os Jedi viajavam para as cavernas de gelo para colher seus próprios cristais, usando-os para construir seus sabres de luz. A Força guiava sua seleção, encontrando um cristal que combinava com o indivíduo. Cristais não tinham cor antes de serem escolhidos por um Jedi. Depois de escolhidos a maior parte dos cristais emitiam um lâmina azul ou verde, embora outros tons eram criados em situações raras, notavelmente a lâmina roxa de Mace Windu, as lâminas amarelas da Guarda do Templo Jedi, o Darksaber preto e as lâminas brancas de Ahsoka Tano.
 
Do outro lado, os Sith tinham distintas lâminas vermelhas. Cristais kyber eram inerentemente conectados ao lado luminoso da Força e tentavam resistir a qualquer praticante do lado sombrio que tentasse usá-los em sabres de luz. Por isso, a única forma que um Sith ou outro usuário do lado sombrio podia usar um cristal kyber era usando a Força para dominar o cristal e subjugá-lo ao seu poder. Esse processo fazia com que o cristal “sangrasse”, como se fosse um organismo vivo, resultando nas famosas lâminas vermelhas que se tornaram sinônimas dos Sith. Entretanto, ainda era possível “curar” um cristal kyber que tivesse sido corrompido desta forma. O único caso conhecido de purificação de cristais corrompidos foi quando Ahsoka Tano purificou os dois cristais que ela recuperou do sabre de luz do Sexto Irmão após derrotá-lo. Nesse caso, os cristais se tornaram brancos, e ela os utilizou para criar novos sabres de luz.
 
Cristais kyber eram resistentes o suficiente para sobreviver à violenta explosão da fonte de energia de um sabre de luz, como quando o criador invertia acidentalmente a matriz do emissor durante a construção da arma. Era possível criar cristais kyber sintéticos, mas sua natureza artificial os tornavam altamente instáveis e explosivos.(Fonte: http://pt.starwars.wikia.com/wiki/Cristal_kyber)
No livro “Ahsoka” é explicado que os Sith rompem a conexão da Força entre cristal e o Jedi, por isso ele “sangra”. O livro também explica que os cristais corrompidos podem ser purificados, mas que não voltam a sua cor original, ficando branco.
Na nova HQ de Darth Vader, vêmos o antagonista em busca de seu cristal Kyber. Ele “caça” o Jedi Kirak Infil’a, que estava cumprindo seu “voto Barash“, para mata-lo e roubar seu cristal. Ao fazer isso, os Sith usam o Lado Sombrio para corromper o cristal para faze-lo “sangrar”.
Este ainda é um conceito novo dentro do Universo da Saga, mas que abre um leque de possibilidades muito bacana. E a galera responsável pelo novo cânone não tá brincando em serviço.

Davi Simon

Pai do Lucas, modelo e atriz.